• Mais
  • Especiais
  • 27.3.2012 - 14:46
  • Sergio Pérez: precoce desde o kart
  • Aos 22 anos, mexicano chegou ao pódio pela 1ª vez na F1; resultado de experiências adquiridas desde os 6

  • O mexicano Sergio Pérez está em enorme evidência nesta semana, graças à sua façanha no GP da Malásia de Fórmula 1, disputado no último domingo (25, em Sepang: um segundo lugar em uma prova para lá de movimentada, melhor resultado da história de sua equipe, a Sauber, em quinze anos na categoria, e que colocou o México no pódio pela primeira vez em 41 anos. Aos 22 anos, o piloto chama a atenção desde a sua estreia na F1, há um ano, quando uma ótima atuação rendeu um sétimo lugar no GP da Austrália – a desclassificação que viria a seguir não tirou o brilho de sua performance.

    Foi justamente esta grande estreia na F1 que acabou com as dúvidas sobre quem era aquele garoto de 21 anos que fora anunciado, do nada, pela Sauber. Apoiado pela Telmex, de Carlos Slim (o homem mais rico do mundo, segundo a revista Forbes), Pérez tinha o rótulo pagante, e, apesar do vice-campeonato na GP2 Series em 2010, não convencia.

    No automobilismo, Pérez conquistou somente um título, na divisão nacional da F3 Inglesa, em 2007. Mas, e na base de tudo, o kartismo? Como começou a carreira de Checo?

    Pérez a bordo de um Tony Kart em 2002 (Foto: Facebook)

    Pérez a bordo de um Tony Kart em 2002 (Foto: Facebook)

    A estreia dele no esporte a motor aconteceu cedo. Em 1996, aos seis anos de idade, Sergio Pérez Mendoza disputou as suas primeiras provas, na categoria Júnior – a nomenclatura mexicana é diferente – e conquistou quatro vitórias, terminando a temporada de debute como o vice-campeão. No ano seguinte, na classe Jovem, Pérez venceu uma prova, chegou cinco vezes no pódio e terminou no quarto lugar no campeonato.

    O primeiro título veio em 1998, em que ele novamente competiu na categoria Jovem. Aos oito anos de idade, ele faturou oito vitórias e se tornou o mais novo campeão daquela classe no kartismo mexicano. No mesmo ano, ele estreou nos karts com marcha, em modelos de 80cc, e ainda venceu no Master Class in Kart, categoria Cadete.

    Em 1999, Pérez passou todo o ano competindo na “Shifter Júnior”, faturou três corridas e garantiu o terceiro lugar no campeonato mexicano. Mais uma vez precoce, ele se tornou o mais jovem a vencer nos karts com marcha. Em 2000, ele sagrou-se campeão na Shifter Jr. e realizou as suas primeiras provas na Shifter Kart, utilizando motores de 125cc. Foi aí que ele caiu nas graças da Telmex e passou a ser apoiado pela gigante das telecomunicações.

    Competindo em um campeonato regional de Shifter 125cc, em 2001, Pérez novamente foi o mais jovem kartista a sagrar-se campeão na categoria, e foi escolhido por olheiros para integrar o Telmex Racing Team. São, portanto, 11 anos desde que ele foi adotado pela empresa que o colocou na Fórmula 1.

    Pérez retornou ao kart em 2011, para disputar uma prova festiva no México; o número 17 é o mesmo que ele utilizou em sua temporada de estreia na F1 (Foto: Facebook)

    Pérez retornou ao kart em 2010, para disputar uma prova festiva no México, quando ele já competia na GP2 (Foto: Facebook)

    Os dois anos seguintes seriam os dois em que ele correria como Telmex no kartismo. Com seis vitórias, ele ficou com o vice no Campeonato Mexicano de Shifter 125cc, e, mais tarde, competiu no Shifter 80, evento realizado em Las Vegas e que contou com a participação de alguns dos principais pilotos do planeta – Pérez terminou na 11ª posição, após se classificar em um ótimo quinto lugar.

    Em 2003, ele liderava dois campeonatos de Shifter Kart no México, mas retirou-se dos certames a sete etapas do fim, o que o impediu de conquistar o bicampeonato. Por outro lado, ele foi o terceiro colocado no Telmex Challenge e segundo na Copa México, sempre em karts com marcha. No mesmo ano, ele foi convidado para disputar a final do Easy Kart 125cc, contra pilotos de todo o mundo, e mais uma vez conseguiu se tornar o mais jovem a conquistar o título, depois de largar na primeira posição e vencer a bateria final.

    Este foi o seu último ano na base do esporte a motor. Em 2004, o garoto de passagem impressionante pelo kartismo mexicano atravessaria a fronteira para disputar a Skip Barber Formula Dodge Series, primeira categoria de fórmula dos Estados Unidos. Era o início de uma fase que duraria seis anos, até que, em 2010, Sérgio “El Checo” Perez se tornasse o primeiro piloto de seu país na F1 desde Hector Rebaque, que disputou 41 Grandes Prêmios entre 1977 e 1981.

  • Autor:
  • Renan do Couto - São Paulo - SP

Compartilhar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>