• 13.7.2015 - 12:55 -
  • Aprovado pelo Conselho
  • FIA dá o sinal verde para novos motores no kart

  •  

    Motores OK foram apresentados em junho pela CIK. (Foto e montagem: CIK-FIA/KSP)

    Motores OK foram apresentados em junho pela CIK. (Foto e montagem: CIK-FIA/KSP)

     

    O Conselho Mundial de Motorsport da FIA se reuniu na última semana, no México. Entre outros assuntos – como o calendário provisório da temporada 2016 da Fórmula 1 (veja no GRANDE PRÊMIO) -, os dirigentes da entidade máxima do esporte a motor aprovaram o lançamento de uma nova geração de motores de kart com transmissão direta.

    Batizada pela sigla OK, a nova geração de motores de transmissão direta para karts estreia internacionalmente em 2016. Ela substitui os motores KF usados nos últimos dez anos e foi desenvolvida sob três prioridades da Comissão Internacional de Kart: simplificação, racionalização e redução de custos.

    O objetivo da entidade é reaproximar as competições nacionais ao redor do mundo às internacionais em termos de motores. Algo que os KF não conseguiram por conta de seus altos custos de desenvolvimento e manutenção – e acabaram levando a uma queda nos números de participantes em campeonatos continentais e mundiais.

    Sem sistemas dos KF, novos motores trarão de volta as tradicionais "empurradas" para dar partida nos karts. (Foto: CIK/KSP)

    Sem sistemas dos KF, novos motores trarão de volta as tradicionais “empurradas” para dar partida nos karts. (Foto: CIK/KSP)

    Os OK foram apresentados durante a última etapa do Campeonato Europeu de KF e KFJ em Brandon, na Inglaterra, no mês de junho. Em termos de custos, um acordo entre CIK e fabricantes propõe que os preços máximos desses motores sejam de dois mil Euros – sem contar, claro, impostos e variações cambiais. O pacote do motor só não tem o radiador de água.

    Válvula de descompressão deve facilitar as partidas. (Foto: CIK/KSP)

    Válvula de descompressão deve facilitar as partidas. (Foto: CIK/KSP)

    A simplificação aparece com a retirada de componentes problemáticos presentes no KF como a embreagem, motor de arranque, bateria e chicotes. Segundo a CIK-FIA, o uso da embreagem exigia controles eletrônicos que deixavam a disputa ainda mais cara e, por vezes, suspeita.

    Outra mudança significativa será nos pesos mínimos das categorias do kart. Na classe OK, substituta da atual KF e equivalente à Graduados no Brasil, o peso cairá de 158 kg para 145 kg incluindo o piloto. Na OK-Junior, o peso cai de 145 kg para 140 kg. A massa mínima do kart também cai: 75 kg para 70 kg. E a justificativa para tal mudança é melhorar a segurança dos pilotos.

    Cadete global

    Outra decisão aprovada pelo Conselho Mundial, mas ainda sem maiores detalhes, é uma regulamentação mundial para as categorias Cadete. A classe é uma importante porta de entrada para o esporte em vários países. No Brasil, por exemplo, recebe pilotos com idade entre oito e 10 anos. A partir do próximo ano, essa categoria deve receber uma diretriz mundial em termos técnicos.

  • Autor:
  • Ricardo Belussi - SÃO PAULO - SP

Compartilhar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>